no embalo da dança…

 
Sentia-me aturdido a tão pouco tempo atrás com as direções que minha vida tomava. Vendo-me solitário na maior parte do tempo acreditava que o melhor era seguir adiante sem pensar nisso. Mas os dias foram indo, e indo, até um dado instante quando encontrei um outro alguém, que se interessava por mim e que me fez interessar-me por ela… Nada estranho, nada errado… compactuei com o acaso de nossos olhares e fluí calmamente permanecendo parte deste encontro…

Isso de algum modo, agora, me faz lembrar de um dia quando um amigo chegou e 07-Major-Chariotfalou para mim algo que eu complemento agora: não adianta correr contra a correnteza. O máximo que isso causará é cansaço, seguido de estafa, e uma posterior perda dos sentidos, que no caso é o momento mais trágico dessa ação. O corpo cairá nas águas turbulentas e levará você a qualquer canto, que muitas vezes não são destinos agradáveis ou desejados. E quando por fim acordamos estamos onde?
Cito isso por uma simples questão de que muitas vezes fiz exatamente como descrito acima, não chegando claro  ao ápice do problema, ainda bem, talvez por não estar só nessa vida e por ter várias forças construindo comigo o meu universo, mas tomei várias e várias vezes essa decisão tola de impingir o meu desejo de forma egóica e imatura. Não percebi muitas vezes os momentos certos para a tomada de ação e nem da sua desistência… e acredito piamente hoje que todo aquele que deseja domar as rédeas do carro precisa antes de mais nada tornar-se humilde o suficiente como se as tais rédeas fossem feitas de material mui nobre para que qualquer mão ou intenção as domine… já que quando isso não ocorre, as mesmas tais rédeas se voltam contra aquele que as toca e se tornam como a forca que veta o caminho por segurar o pé, deixando o olhar desejoso do horizonte que se distancia…
Tolo meu caro… já fui muito tolo… mas isso me anima… hoje isso me anima.
e se tolo és também… acalma tua tolice… e ri de si mesmo um pouco… deixando o corpo por alguns instantes flutuar silente… pois todas as coisas são belas… já que não só de acertos vive o homem… e nem só de caminhos retos…
quem sabe ao afogar-se um pouco não se aperceba de que sabes nadar melhor do que acreditavas antes… ou  que sabes bem mais do que lhe fizeram acreditar outrora…
S.O.Q.C.
Comentários
0 Comentários